24 de Outubro de 2017

Biblioteca Acessível: 62 unidades de SP recebem novos equipamentos

Equipamentos acessíveis que auxiliam pessoas com deficiência na leitura de obras foram destinados para 62 bibliotecas públicas paulistas. Instaladas em 55 cidades, as unidades integram as ações da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo para ampliar a inclusão.

 

A iniciativa junto às bibliotecas ocorre desde junho de 2016, quando foi aberto o concurso para selecionar projetos de locais interessados em receber aparelhos de tecnologia assistiva capazes de assegurar o acesso à leitura a pessoas com deficiência visual e motora. Os recursos para a premiação têm origem no plano aprovado pelo Fundo de Defesa dos Interesses Difusos da Secretaria de Justiça e Defesa da Cidadania do Estado.

 

As 62 unidades receberam dois kits. O primeiro tipo contém computador, ampliador automático, scanner leitor de mesa, teclado ampliado, mouse estacionário e software de voz sintetizada para atuação com software leitor de tela. Já o kit tipo 2 possui todos os elementos do primeiro conjunto e acrescenta display e impressora braile. A entrega é definida a partir do pedido do município, que apresentou as justificativas sobre a utilização dos aparelhos.

 

Convênios

 

A cerimônia de entrega dos equipamentos ocorreu no Palácio dos Bandeirantes. O governador Geraldo Alckmin e a Secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Linamara Rizzo Battistella, assinaram convênios para que os municípios sejam contemplados. Com a ação, o Governo do Estado pretende expandir o conhecimento da população e tornar cada vez mais acessíveis os espaços e as informações.

 

Para a secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Linamara Rizzo Battistella, é muito importante levar tecnologia para as bibliotecas e escolas. “Não são apenas 55 municípios que receberam os equipamentos, mas vamos treinar e formar agentes. Cerca de 200 profissionais serão treinados na lógica da inclusão. É um projeto ganha-ganha: ganha o aluno, ganha o professor, ganha o município e ganha o Estado de São Paulo, trabalhando na lógica de incluir a todos”, explica.

 

Inclusão

 

Viabilizar espaços inclusivos está entre as prioridades para os municípios paulistas. Um exemplo é o município de Arujá, que foi contemplado pela ação da secretaria e por meio do projeto “Asas”. A iniciativa busca estimular a pessoa com deficiência a visitar a biblioteca Professora Alda Martins Soncini. O recebimento do kit 1 propicia à população com deficiência da região a acessibilidade necessária para ler os livros no local.

 

A responsável pelo departamento de cultura de Arujá, Marilisa de Moraes Cajueiro, destaca a importância dos equipamentos e de quanto os moradores ganharão com o projeto. “A perspectiva é, com certeza, de atender toda a comunidade, facilitando o acesso à cultura e a tecnologia. Isso é inclusão”, ressalta. “Nos sentimos honrados por fazer parte, resultado da valorização do trabalho de ampliação de frequência de usuários com deficiência em nossas unidades”, completa.

 

Workshops

 

Ainda em setembro, a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência promove workshops de capacitação e treinamento para os serviços bibliotecários das bibliotecas públicas municipais contempladas com kits de equipamentos. Serão realizados oito eventos no Estado de São Paulo, nas cidades-polo de Itanhaém, Campinas, Sorocaba, São Paulo, São José do Rio Preto, Sertãozinho, Bauru e Presidente Prudente.

 

Os workshops estão divididos em três temas centrais: questões relacionadas à pessoa com deficiência, acessibilidade em bibliotecas e tecnologia assistiva. As unidades contempladas pelo projeto devem consultar a data e a cidade-polo na página do programa “Acessibilidade em Bibliotecas”. Pelo link, os interessados devem fazer inscrições e obter mais informações.

 

 

Fonte: http://www.saopaulo.sp.gov.br