24 de Outubro de 2017

Brasiliense vai representar o país no Miss Mundo Cadeirante

Quando tinha 17 anos, Carla Maia teve um sangramento espontâneo na medula espinhal e ficou tetraplégica. No começo, diz ela, foi difícil aceitar. Mas a adolescente seguiu em frente e em outubro embarca para a Polônia onde vai representar o Brasil no primeiro concurso Miss Mundo Cadeirante.

 

Carla é jornalista e paratleta de tênis de mesa. Por oito vezes foi campeã brasileira da classe dois. Mas é a primeira vez que participa de um concurso de beleza.

 

Depois que eu fui selecionada que foi cair a ficha de onde eu tinha me metido, entendeu?!

 

A beleza da jovem chamou a atenção de um "olheiro" que convidou Carla para fazer um teste. Ela passou, assim como venceu todas as etapas do concurso, e agora está na reta final para representar o Brasil no mundial. Serão 24 candidatas na passarela.

 

"Eu tô dando meu melhor, meus amigos, os amigos dos meus amigos, os parceiros que estão ajudando [...] até os vestidos que eu vou desfilar, tá tudo contribuindo. A gente tá sendo uma equipe, a equipe Brasil, e vamos lá."

 

Voto popular

 

Além da escolha do júri, o concurso terá votação popular. Qualquer um pode votar, e a brasileira pede ajuda pelas redes sociais.

 

Já quando o assunto é a necessidade de políticas públicas para garantir a inclusão de pessos com deficiência, a candidata a miss faz questão de se posiciobar: "Nós somos mulheres bonitas, plenas, femininas. Nós queremos viver e precisamos de acessibilidade pra ter uma vida com qualidade", afirma Carla.

 

Uma rampa é importante, o respeito à vaga especial reservada pra pessoa com deficiência é importante. São esses pequenos detalhes, como banheiro adaptado e a preferência na fila, que tornam as pessoas que têm uma limitação alta como a minha [...] iguais às pessoas comuns.

 

 

Fonte: G1