15 de Novembro de 2018

Os cinco melhores aplicativos do Android para pessoas com deficiência visual

Os smartphones fazem parte do dia-a-dia de quase todo mundo e cada vez mais eles contam com aplicativos para ajudar seus usuários em qualquer tarefa. No Android, por sua vez, existem diversos apps de acessibilidade para que pessoas com deficiência visual consigam usar o celular para facilitar o seu dia-a-dia.

 

Google BrailleBack: Desenvolvido pelo próprio Google, este aplicativo ajuda os deficientes visuais a terem uma experiência combinada de braile com falas para compreender o que está na tela do Android. Para facilitar as tarefas nele, também é possível utilizar teclados em braile para interagir com ele.

 

Be My Eyes: Este app funciona como uma plataforma colaborativa em que os seus usuários ajudam uns aos outros a identificação de itens por meio de uma chamada em vídeo. Ele é uma alternativa ideal, para uma pessoa que não consegue enxergar itens com precisão obtenha ajuda rapidamente.

 

CPqD Alcance+: Desenvolvido por brasileiros, este launcher troca a interface padrão do Android para telas com uma usabilidade desenvolvida para quem tem dificuldades em enxergar. Além da interface diferenciada, o launcher adiciona recursos úteis, como uma função que lhe permite utilizar comandos em voz para a realização de tarefas ao desenhar um círculo em qualquer parte da tela do Android.

 

Eye-D: Programa ajuda deficientes visuais a identificarem com facilidade aonde eles estão, tal como obter informação de locais importantes que estejam próximos como bancos, hospitais, pontos de ônibus e muito mais. Adicionalmente, os seus usuários também podem converter textos em falas com a câmera do celular.

 

Android Acessibility Suite: O último aplicativo da lista, que também é desenvolvido pelo Google, ajuda a controlar o Android de diferentes maneiras. Com o recurso chamado TalkBack, o Android conseguirá interpretar com que você está interagindo no celular para facilitar a compreensão do que está ocorrendo no sistema.

 

Fonte: Olhar Digital