19 de Abril de 2019

Pesquisadores da USP criam ‘cateterismo cerebral’ e devolvem movimentos às vítimas de AVC

Na Universidade de São Paulo, um grupo de cientistas desenvolveu uma técnica de cateterismo cerebral capaz de retirar um coágulo da artéria e assim devolver os movimentos a uma vítima de um Acidente Vascular Cerebral. A técnica, desenvolvida por pesquisadores da Faculdade de Medicina da USP, reduz portanto quase que totalmente as sequelas de um AVC, como paralisia facial e perda de movimentos.

 

Já aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária, o método consiste em desentupir as artérias grandes do cérebro em até 24 horas após iniciarem os sintomas do acidente. O processo introduz um microcateter em uma artéria pela perna do paciente, que avança até o ponto entupido do cérebro. O coágulo então é aspirado ou retirado com um stent.

 

Trata-se de um tratamento mais eficaz que os métodos convencionais, capaz, segundo os pesquisadores, de limpar até 80% dos vasos afetados. O tempo entre a lesão e o tratamento, porém, é determinante para a eficácia da técnica – abrir a artéria para restaurar o fluxo sanguíneo o mais rápido possível é a medida entre o sucesso e o fracasso através do novo tratamento.

 

Fonte: Hypeness